sábado, 27 de Fevereiro de 2010

Não caia em tentação...

Todos querem emagrecer, mas nem todos o fazem com saúde e dietas equilibradas. E o desespero chega quando, após a dieta se voltam a ganhar os quilinhos perdidos e mais alguns. O segredo para evitar o descalabro nutricional é comer melhor, mais vezes ao dia, complementando com exercício.




Apresento-vos 14 dicas, que segundo a revista Peso Perfecto contribuem para um estilo de vida saudável:

  1. Não deixe comida à vista. Esconda biscoitos, doces e salgadinhos. Se os olhos não virem, o estômago não se ressentirá, ou seja, tornar-se-á mais difícil de activar o mecanismo da fome. Deixe visíveis apenas os alimentos não calóricos que sejam do seu agrado. Assim, quando sentir necessidade de mastigar, fá-lo-á sem culpa e com menos apetite para as refeições principais
  2. Não coma a ver televisão, a ler ou a ouvir música.
  3. Quando comer, procure mastigar bem sentindo o sabor dos alimentos.
  4. À mesa, coma. Deixe as conversas desagradáveis para depois da refeição. Assuntos de trabalho, futebol, política e dinheiro podem provocar indigestão. Portanto, o melhor será fazer um pacto para se eliminarem as coisas desagradáveis durante as refeições
  5. Faça sempre uma entrada de salada. Além de ser pouco calórica, reduz a fome e, desse modo, não partirá para o prato principal com a garra de alguém destinado a devorar tudo o que aparecer pela frente.
  6. É aconselhável comer pouco, várias vezes ao dia, em vez de muito de uma vez só. 
  7. Muitas vezes ouvimos os nossos amigos dizer "Estou carente. Preciso de um chocolate..." Esta frase pode servir apenas para desculpar a vontade de transgredir a dieta ou mascarar o vício de comer. Ajude-os a combatê-lo.
  8. Faça várias refeições ao dia. Entre cinco a seis. E opte pelas maiores refeições  durante a manhã, de modo a dar tempo para queimar as calorias sem grande esforço. Faça um pequeno-almoço estilo americano. Se for para abusar, que seja pela manhã. O segredo é não deixar o metabolismo lento. Entre o café da manhã e o almoço, deguste uma peça de fruta. E entre o almoço e jantar outra. Quanto a este, ele deve ser leve, servido no final da tarde, por volta das 19 horas. Após esta refeição principal e, enquanto não se deita, poderá comer algo frugal, como duas bolachas de água e sal ou uma tisana quente e calmante, tipo camomila ou erva-cidreira. Evite os chás verdes ou outros estimulantes que lhe tirem o sono.
  9. Deite-se cedo e não pense em assaltar o frigorífico durante a noite.
  10. A par de qualquer dieta, deve fazer exercício físico. Mas atenção, porque, no dia em que fizer exercício físico, não deverá comer mais por isso. Tente fazer tudo com moderação.
  11. Se tiver uma vida sexual activa, aproveite. Faça sexo. É bom, queima calorias e, como tal, emagrece.
  12. Pese-se regularmente e anote os resultados, para controlar o peso e perceber os erros cometidos. Tente pesar-se com o mínimo de roupa e nunca após uma refeição.
  13. Dê preferência às carnes magras e sem pele. Evite os exageros e substitua os fritos por grelhados. É mais saudável.
  14. Antes de dar início a qualquer tipo de dieta, não esqueça que deve aconselhar-se com um nutricionista ou endócrinologista para que eles possam analisar e indicar a melhor dieta para si. Cada caso é um caso diferente e, nem todos os organismos reagem de igual forma. Diabéticos e pessoas com outras disfunções glandulares terão mesmo de seguir orientações médicas específicas.

domingo, 21 de Fevereiro de 2010

Toca a dormir


Dormir o suficiente ajuda a manter-nos magros. Quando não dorme as sete ou oito horas de que precisa todas as noites para rejuvenescer, o corpo vai ter de encontrar outras maneiras de compensar o facto de os neurónios não estarem a segregar as quantidades normais de serotonina e de dopamina. E a forma que encontra é ansiar por alimentos com açúcar, que proporcionam a dose imediata de serotonina e dopamina. A falta de sono faz descambar todo o sistema. A falta de sono pode tornar-se um problema mais grave à medida que envelhecemos. Quando somos mais velhos, a glândula pineal localizada no cérebro produz menos melatonina (a hormona do sono) e, como consequência, sentimos desejos de hidratos de carbono.

Fonte: You - A sua Dieta, de Dr. Michael E. Roizen e Dr. Mehmet C. Oz

sábado, 20 de Fevereiro de 2010

5 ao dia


O Programa 5 ao dia encontra-se implantado em mais de 30 países no mundo e tem como objectivo aumentar o consumo de frutas e vegetais. Significa que devemos ingerir, pelo menos cinco vezes ao dia, frutas, legumes e vegetais. É fundamental tornar este hábito uma prática corrente para podermos salvar a saúde de muitas crianças, jovens e adultos. 

Afinal, esta sempre foi uma prática comum para mim, pois sempre gostei de fruta e a sopa faz parte da minha alimentação diária. Infelizmente muitos pais deixaram o hábito de dar sopa aos filhos e não os ensinam a comer vegetais, é uma obrigação dos adultos educar os mais novos e no que concerne à alimentação quanto mais cedo se aprende a comer saudavelmente melhor.

O ideal é diversificar e por isso devem-se comer vegetais e frutos de diferentes cores ao longo do dia, todos os dias. 

É mais fácil do que parece e os efeitos são reais no combate ao cancro, diabetes, problemas cardíacos e obesidade.

Abaixo, um vídeo em inglês da NHS Choices:

segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2010

Maior o excesso menor o progresso


Beber menos água durante a semana e 2 jantares com excessos foram o suficiente para o progresso desta semana ser bem menor. Resultado apesar de tudo positivo: Menos 200 gramas e menos 1 cm de cintura.

Não podemos também esquecer que perder peso muito rapidamente pode ser muito prejudicial para a saúde.  O corpo humano não foi concebido para uma rápida perda de peso, tendo um "sistema de segurança" que quando sente que estamos a perder peso muito rápido começa a manter gordura corporal como forma de precaução e para manter-se em equilíbrio.

O ritmo da perda de peso varia muito de pessoa para pessoa. Durante as primeiras semanas podem perder-se de dois a cinco quilogramas, mas posteriormente é aconselhável entre 500g a 1Kg por semana. Além dos riscos para a saúde, as pessoas que perdem peso muito rápido tendem a recuperar o peso e engordar tudo novamente.  

Algumas mulheres, apesar de seguirem correctamente a dieta, não conseguem reduzir o seu peso numa semana, tal fenómeno tem relação muito directa com o seu ciclo menstrual.

quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010

Os alimentos mais saudáveis do mundo

Depois de uma extensa pesquisa, o nutricionista americano Jonny Bowden seleccionou os ingredientes com maior valor nutricional, que realmente deveriam fazer parte de nossa dieta diária.

O Dr. Jonny Bowden é um nutricionista certificado e autor de vários livros sobre saúde e nutrição, incluindo The 150 Most Effective Ways to Boost Your Energy e The 150 Healthiest Foods on Earth.

Temos aqui a lista dos alimentos para os quais damos pouca atenção, mas que deviam frequentar o nosso prato mais vezes: 

1- Sardinha: é rica em proteínas e possui minerais essenciais, como magnésio, ferro e selénio, que têm uma acção anticancerígena. Esse tipo de peixe também ajuda o organismo a libertar o mercúrio e tem altas concentrações de omega 3, um tipo de gordura “boa”, essencial para o funcionamento do cérebro, do coração e para a redução da pressão arterial. As sardinhas são chamadas de “comida saudável em lata” por Bowden, que aconselha que sejam compradas as preservadas no próprio óleo ou em azeite, quando não puderem ser consumidas frescas.


2- Repolho: as folhas do vegetal contêm grandes concentrações de substâncias antioxidantes e anticancerígenas chamadas de indoles e sulforafanos. Uma pesquisa da Universidade de Stanford, nos EUA, apontou que o sulforafano é a substância química encontrada em plantas que mais eleva o nível de enzimas anticancerígenas no organismo.


3- Folha de beterraba: geralmente deitada ao lixo, é rica em vitaminas, minerais e antioxidantes. Contém carotenóides, pigmento natural dos vegetais que ajuda a proteger os olhos contra o envelhecimento. Bowden também afirma que a beterraba em si também é um dos alimentos mais ricos que existem. As folhas podem ser comidas cruas na salada ou refogadas, como espinafre.


4- Açaí ou Acai-berry: em sumo ou misturado na comida, o açaí é uma das frutas com maior concentração de antioxidantes. Também é rica em gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas, que são benéficas e auxiliam na redução do mau colesterol e na prevenção de doenças cardíacas. 


5- Goiaba: rica em fibras, minerais e vitaminas. Também possui grandes quantidades de licopeno, o maior antioxidante entre todos os carotenóides. O licopeno auxilia na prevenção do cancro de próstata e reduz os riscos de surgimento de cataratas e doenças cardiovasculares.


6- Cereja fresca: tem altas concentrações de antocianina, um anti-inflamatório natural. Deve ser comida ao natural ou misturada com iogurte.


7- Chocolate meio-amargo: rico em flavanóides, que diminuem a pressão sanguínea e promovem o bom funcionamento do sistema circulatório, tem altas concentrações de magnésio, um mineral importante para mais de 300 processos biológicos do organismo.


8- Frutas oleaginosas: são as castanhas, as nozes e as amêndoas. Bowden afirma que todas trazem inúmeros benefícios, apesar do elevado teor calórico. Possuem muitos minerais, proteínas e altos níveis de Omega 3 e Omega 9.


9- Canela: ajuda a controlar o nível de açúcar e de colesterol no sangue, o que previne o risco de doenças cardíacas. Para usufruir dos benefícios da especiaria, basta polvilhar um pouco de canela em pó no café ou no cereal matinal.


10- Semente de abóbora: é uma grande fonte de magnésio. Este mineral é tão importante que estudiosos franceses concluíram que homens com altas taxas de magnésio no sangue têm 40% menos hipóteses de sofrer uma morte prematura do que aqueles com baixos índices. Para consumi-las, toste-as no forno e coma-as por inteiro, inclusive com a casca, que é rica em fibras.

Fonte: Revista Época

sábado, 6 de Fevereiro de 2010

Chuchu, caiota, pimpinela...

Este fruto originário da América central é conhecido por diversos nomes:  Chuchu no Brasil e Portugal Continental, Caiota ou Caioca no arquipélago dos Açores e Pimpinela no arquipélago da Madeira. A forma   assemelha-se à de uma pêra e a casca pode ser lisa ou com espinhos, conforme a espécie, e a cor varia do branco ao verde bem escuro.


O chuchu é um fruto de sabor suave, fácil digestão, rico em fibras, pobre em calorias e constitui um óptima fonte de potássio e de vitaminas A e C.


Este tem sido um grande aliado na minha dieta. Uso principalmente nas sopas, como substituto da batata, mas também gosto de comê-lo cozido como acompanhamento.

sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010

Progressos e balanço mensal

Hoje tive a minha 4ª consulta (as consultas são todas grátis) e o resultado desta semana foi muito positivo.

O balanço deste primeiro mês foi de 4,400 Kg :-)

Para a próxima semana continuo a fazer a dieta ampla e 2 dias de choque de kiwi e para ajudar na minha redução de peso mantenho as cápsulas de chá verde da Naturhouse e irei usar estas ampolas:


Redunat Plus (19.20€)
Aumenta o metabolismo, inibe appetite e queima gordura.
Ingredientes: Salsaparrilha, Sabugueiro, Erva-doce, Alecrim, Algas-marinhas,Tília, Melissa, Erva-cidreira, L-carnitine
Modo de uso: Tomar 1 ampola antes do  pequeno-almoço (formula do dia) e 1 ampola antes do jantar (fórmula da noite).

quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010

Todos os benefícios da água

Cerca de 70% do nosso corpo é composto por água e, quem sabe se não é por essa razão que este líquido vital é o melhor remédio natural que existe. Para além disso, ajuda a emagrecer e é uma grande aliada da nossa pele.



Como cuida da sua saúde

Combate o cancro
Uma ingestão insuficiente de água aumenta o risco de padecer de cancro da bexiga e do cólon porque fomenta a concentração de substâncias tóxicas nestes órgãos. Uma ingestão adequada de água reduz o risco.

Combate as infecções
Beber entre cinco a oito copos de água por dia reduz a produção de pedras nos rins e as infecções urinárias. Para além disso, mantém as mucosas do sistema respiratório convenientemente hidratadas, e diminui o risco de infecções virais como a gripe. A água também ajuda a limitar a incidência de ataques de asma.

Cuida da boca
A saliva, que contém substâncias antibacterianas, diminui se não bebermos água. Isto favorece a presença de bactérias que provocam gengivites, cáries e outras doenças da boca.


Como mantém o seu peso


Regula o metabolismo das gorduras
Uma ingestão insuficiente de água faz com que os depósitos de gordura do nosso corpo aumentem, devido a um funcionamento incorrecto do fígado, responsável por metabolizar as gorduras e convertê-las numa fonte de energia para o organismo.

Ajuda-a a ficar saciada
A água tem um efeito saciante e, portanto, faz com que comamos menos. Para além disso, como a água que bebemos está a uma temperatura mais baixa do que a corporal, o organismo tem de queimar calorias para poder aquecê-la.

Evita a retenção de líquidos
Quando o corpo recebe pouca água interpreta-o como uma ameaça para a sua sobrevivência e compensa essa carência retendo líquidos. Para o evitar, basta fornecer-lhe toda a água de que precisa.

Trava o envelhecimento
Com o passar dos anos, o nosso organismo perde cada vez mais água, o que afecta, sobretudo, a pele. No entanto, se bebermos o suficiente, o equilíbrio entre a água que possuímos e a que perdemos mantém-se, e a pele mantém-se jovem durante mais tempo.

Reforça a função protectora da pele
Para que se possa defender de agentes prejudiciais como o sol, o frio, o vento, a poluição ou as infecções, é fundamental que a pele mantenha um grau óptimo de humidade. Caso contrário, fica debilitada e exposta a todo o tipo de agressões, que a tornam irritável e sensível.


 
Texto: Prevenir

Mastigar bem para não engordar

Muitas pessoas pensam que uma boa alimentação reside apenas no que se escolhe para pôr no prato. Mas há outras coisas importantes, ou mesmo fundamentais, para que a alimentação se faça de uma maneira correcta. A forma como se mastiga é uma delas.



Comer devagar e mastigar bem os alimentos é uma das maiores defesas para não engordar. Se devorarmos o que está num prato, mais «aspirando» do que comendo, rapidamente a comida desaparece e ainda não teve tempo de começar a dar a sensação de satisfação e de se «estar cheio» - é evidente, pois se não desdobrámos os compostos em mais pequenos, se não damos tempo ao estômago de ir enchendo, claro que nem damos pelo que comemos.

Não nos podemos esquecer que o nosso cérebro demora até 15 minutos a perceber o que se passou no estômago e se a pessoa comeu ou não.

Assim, na gula de comer, sobretudo se gostamos do que está na travessa, enchemos outra vez o prato e devoramos mais uma vez. E outra. E, às vezes, mais uma outra. Quem quer emagrecer come mais vezes ao dia, mas come devagar, mastiga até não poder mais. E, ao chegar a meio do prato, já se sente saciado, cheio, pleno, até quase com dores nos maxilares, mas seguramente sem vontade de voltar a enchê-lo.

Basta ver como, por exemplo num restaurante ou numa festa, as pessoas gordas comem e como as que são magras o fazem. A diferença está (também) aí. E, já agora, uma curiosidade: ao comer muito à noite, vamos libertar uma hormona, que se regula pelo ciclo dia-noite, e que inibe a hormona do crescimento, fazendo com que queimemos menos calorias durante esse período.

É por isso que as pessoas que comem muito à noite e que são gordas engordam a dormir. Veio também a descobrir-se que essa hormona (um péptido designado por Y, produzido no estômago) é estimulado quando se mastiga mal e os alimentos chegam ao estômago com pouca saliva.

Mastigar mal pode ainda causar azia, enfartamento, sonolência após as refeições, noites mal dormidas, entre outros problemas. Todas estas são razões de sobra para mastigarmos bem.

terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

Manter um diário de alimentação ajuda a emagrecer



Um estudo que acompanhou 1.700 pessoas durante seis meses mostra que aqueles que seguiram o conselho do médico de anotar tudo o que comiam emagreceram mais.
A perda média do grupo foi de seis quilos. Aqueles que mantiveram o diário com todos os detalhes chegaram a emagrecer o dobro dos que não anotaram nada. Os médicos que fizeram o estudo não têm certeza de qual a causa. É possível que o facto de se registar o que se come nos leve a reflectir sobre o que andamos a ingerir.

Não custa nada tentar!

Fonte: LA Times